quando o telefone faz tum-tum

Quinta a noite eu liguei pra ele.
Perguntei se ele iria lá em casa e ele disse que não.
Não consegui identificar seu humor pela voz...mas também não me parecia nenhum convite para render conversa; pra render aquela conversa...regida por obrigatoriedades de como vai você e porque não me ligou hoje.
Conversa saco essa.
Então eu o desejei boa noite(ao menos acho que desejei) antes de dizer: -então tá e tchau.Exatamente assim:-então tá e tchau.
Depois  o xinguei mentalmente... aquela sessão de palavrões que os meus lábios cerrados e o tum-tum do telefone não o permitiram ouvir.Filho da Puta.
Acho que tudo se resume ao dia anterior,saímos para comer macarrão e a refeição foi indigesta.
O telefonema foi para me aliviar,ficar com a consciência  tranquila de que eu tentei alguma coisa.Fingir estar tudo bem é tentar algo,não é?
Acontece que eu já tinha premeditado,já havia calculado tudo dentro da minha cabecinha,que eu não falaria,e não falei nada de que meus pais tinham viajado e que eu estava sozinha.Penso que se ele não pode ir lá pura e simplesmente pra me ver, que ele também não precisa ir só pra me comer.
Um dia de coisas mal digeridas já me basta ok.

Comentários