N.


Estava fazendo um trabalho de geometria analítica.De 10 questões fiz até a de nº. 6 e parei. Merda a faculdade mal começou e já ta ficando complicado.è impressionante como depois da metade sempre complica.
 Ontem fui na casa da N. tava tendo churrasco lá.Apenas entre o pessoal de casa mesmo.Nossa sempre nos vemos de tempos e em longos tempos... e mesmo assim quando nos vemos existe uma proximidade e cumplicidade mutua de “sim eu quero que você saiba todos os meu segredos”.
 Cada vez que a vejo ela esta mais bonita,mais feminina... usando um pouco mais de cor na roupa e na face.. fugindo do preto e dos óculos de grau,fugindo do óbvio, lente vai bem nela.
 Comemos.. conversamos na roda familiar.. eu bebi coca e ela cerveja,e sobre o Reveillon seu irmão disse que não se sentia á vontade tendo que ir buscar na rodoviária o cara que ia comer a sua irmã;rimos um mucado.. perdi minha perna para os pernilongos.. e depois fomos lá pra dentro,no seu quarto.
 Tentei identificar algum livro bom por ali para pedir emprestado.. e não achei nada,ao menos nada que fosse do meu interesse, e como se lesse meus pensamentos ela me respondeu que seus livros estavam em JF,que ela havia trago apenas alguns para suas férias.Fiquei meio frustrada por não ver nada novo,mas depois passou.Ela me devolveu meu livro: comer,rezar,amar que por sinal ela leu antes de mim(e não me importei com isso,não com ela).Ela super me recomendou o meu livro,e uma parte de mim ficou feliz de saber que eu acertei na escolha,no quisito livros a opinião dela sempre fez bastante diferença.
 Ela estava super falante.Mesmo.Na verdade nós duas somos seres bem adaptados á arte de falar e vivemos nos cortando entre conversas,e isso nunca me incomodou,ao menos não havia,não até naquele momento... vai ver foi o dia,sei lá,mas eu queria ter falado mais também porra!
 Me contou sobre tudo... e antes dela começar a despejar aquele bando de palavras em cima mim, eu já a sentia diferente.. e eis que ela... o ser mais biscate das biscates esta apaixonada...
 Os homens acham que não,mas nos mulheres nos apaixonamos pelos detalhezinhos... e eu me  reconheci em cada coisa que ela dizia,de como ela gostava de ele pagar a conta,dele deixa-la em casa,de se preocupar com ela,de gostar de estar com ela, da conversa,de leva-la a lugares novos,apresenta-la aos amigos,pedir em namoro,de dormir de conchinha,do fato dela comprar o pão e ele a mortadela,do sexo e de como todo atual namorado tem o pau tão grande.-Serio J. o dele é grande mesmo-.E como eles trepam gostoso... e como ela ganhou um machucado tão gostoso quanto no joelho.
E eu disse:ai você estava de quatro e ele metendo forte... e você machucou o joelho.-Ela: pois é,foi exatamente como aconteceu,você sabe como eu gosto de pressão-
Então eu ri compulsivamente... e pedi que ela parasse de me contar os detalhes sórdidos. –mas esses detalhes que são os melhores- respondeu ela também em meio a risos e seriedade.Ainda fico me perguntando em que superfície ela estava,tipo brita?asfalto?no chão de cimento batido? (risos internos de novo).
 Ela estava feliz,e no fim das contas só isso bastava,e fico mais aliviada também de ela não ter me deixado falar,estava vivendo umas coisas tensas,nada muito sério,mas além de atrapalhar todo o clima da conversa,agora vejo que estaria arrependida.Não de contar algo pra ela,mas é que certas coisas é preferível que fique só comigo,bem aqui,na parte escura que existe dentro de mim.

Comentários